Pular para o conteúdo

A Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) teve início com a criação da Fundação Cultural de Mato Grosso pela Lei nº 3.632, em 20 de junho de 1975, com a finalidade de preservar o patrimônio cultural mato-grossense e de estimular, por todas as formas, as manifestações da cultura regional.

Uma das conquistas mais importantes da época foi a elaboração de uma legislação de defesa do patrimônio histórico e artístico do Estado (Lei nº 3.774, de 20 de setembro de 1976), com base na qual foram tombados os edifícios do Seminário da Conceição, da Igreja de Nossa Senhora do Bom Despacho e o Chafariz do Mundéu, localizados em Cuiabá.

Uma década depois, em 1995, foi criada a Secretaria de Estado de Cultura por meio da Lei Complementar nº 36, de 11 de outubro de 1995, e uma das competências foi a preservação do patrimônio histórico e arquitetônico.

A composição atual da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) foi oficializada pela Lei Complementar nº 612, de 28 de janeiro de 2019. E no Regimento Interno da Secel, publicado em maio de 2021, estão definidas as atribuições da Superintendência de Patrimônio Histórico e Museológico. Outro marco importante da legislação estadual foi a Lei n° 11.323, de 23 de março de 2021, que atribui à Secel a tarefa de registrar, tombar e zelar pela proteção e vigilância do patrimônio histórico, artístico e cultural de Mato Grosso.

A Superintendência de Preservação Patrimônio Histórico e Museológico é a unidade da Secel responsável por analisar, implementar e executar as políticas de preservação do patrimônio histórico material e imaterial e dos museus do Estado. Ela está dividida em uma Coordenadoria de Patrimônio Histórico e Museológico e duas gerências:  Gerência de Gestão Museológica e Gerência de Inventário, Tombamento e Registro.

A estrutura inclui o Sistema Estadual de Museus, que foi criado pelo Decreto 959, de 05 de dezembro de 2007, e tem o objetivo promover a qualificação e o fortalecimento institucional para a preservação, pesquisa e difusão dos acervos museológicos mato-grossenses. O Estado possui sob sua responsabilidade cinco museus: Museu Histórico de Mato Grosso, Museu de Artes, Museu Residência dos Governadores, Museu de História Natural de Mato Grosso e Museu de Arte Sacra.

Em relação ao tombamento, que consiste em um conjunto de ações realizadas pelo poder público para preservar bens culturais de valor histórico, cultural, arquitetônico e ambiental, hoje Mato Grosso possui 110 bens tombados. Desses, 105 são classificados como materiais e cinco como imateriais, distribuídos em 33 municípios.